• Mi cuenta
  • Envío 24h en península antes de
Busca tu tienda MASmusculo
  • 910 60 96 55 910 60 96 55
    LUN-VIE: 9:00 - 19:30

O Ácido lático em exercício físico: verdades e mentiras

O Ácido lático em exercício físico: verdades e mentiras

 O ácido lático é um composto orgânico produzido naturalmente pelo nosso organismo, sendo ao mesmo tempo, subproduto e combustível para o exercício físico.

Normalmente pensamos que o Ácido lático é um composto negativo face ao rendimento físico, dizendo-se que é tóxico, mas realmente é um composto energético importante, já que a sua metabolização aeróbica dá lugar à formação de 17 moléculas de ATP.

 A glicólise Anaeróbica e a Aeróbica

Em primeiro lugar, vamos ver as diferenças entre a glicólise anaeróbica e a aeróbica:

  • Na a glicólise anaeróbica, usa-se a glucose do citoplasma da célula muscular, seja libre ou armazenada em forma de glicógeno. Como é um processo anaeróbico não há utilização de oxigénio, e depois de uma série de reações químicas formam-se 2 moléculas de ácido pirúvico e ATP.

formam-se 2 moléculas de ácido pirúvico  e ATP

  • Nesta fase, o ácido pirúvico e graças à enzima piruvato desidrogenase, em vez de se converter em  Ácido lático, entra no processo aeróbico, ciclo de Krebs, que no seguimento de várias etapas, gera mais energia.

 Gera mais energia

Quando as necessidades energéticas são baixas, existe uma continuidade ou equilíbrio entre os processos anaeróbico lático e aeróbico, produzindo-se minimamente o Ácido lático. No entanto, quando fazemos exercício físico e necessitamos de obter energia para a contração muscular, aumenta significativamente a utilização de glucose por via anaeróbica e com isto a formação de ácido pirúvico em excesso, convertendo-se este em Ácido lático em exercício físico.

O Ácido lático em exercício físico verdades e mentiras portugués 1

O que acontece com o Ácido lático uma vez produzido?

Em primeiro lugar, quando é produzido, procurará sair dos músculos e entrar em músculos próximos, na corrente sanguínea ou no espaço entre as células musculares. Em segundo lugar, quando é assimilado por outro músculo, voltará a converter-se em ácido pirúvico e será usado de forma aeróbica.

Ainda que de forma geral, um músculo tenderá a usar como fonte de energia o glicógeno armazenado no músculo, se houver um excesso de Ácido láctico, este será transportado para o músculo convertendo-se em ácido pirúvico para o uso dos processos aeróbicos.

O Ácido lático em exercício físico verdades e mentiras portugués 2

O Ácido lático em exercício físico é prejudicial realmente?

Como já referimos no segundo parágrafo, temos a tendência de pensar que o Ácido lático é prejudicial, mas, é realmente assim? A resposta é sim e não. Quando o Ácido lático se produz nos músculos, ao mesmo tempo produzem-se iões de hidrogénio, que quando se acumulam nos músculos atingem uma grande acidez, ocasionando problemas na contração muscular que é necessita durante o exercício, isto é, o que se conhece como “esgotamento muscular”. Por esta razão, no é o Ácido lático a causa deste esgotamento, ainda que esteja diretamente relacionado com a acidez que o provoca.

No é o Ácido láctico em exercício físico a causa deste esgotamento, ainda que esteja diretamente relacionado com a acidez que o provoca.

Estudos relacionam a intensidade do exercício físico com a produção de lactato

Alguns estudos relacionam a intensidade do exercício com a produção de lactato da seguinte maneira: (1)

  • Durante exercícios intensos e curtos o músculo produz rapidamente lactato, e ao aumentá-lo a um nível intramuscular produz-se a sua saída em direção ao sangue. Em seguida, durante a recuperação há uma absorção do sangue pelos músculos em repouso ou por outros que trabalham com menos intensidade.
  • Durante exercícios de moderada intensidade, as fibras musculares produzem e libertam lactato, sendo que uma parte passa para a circulação e outra se difunde nas fibras musculares oxidativas vizinhas que o oxidam.
  • Durante exercícios de baixa intensidade, os músculos que ao início libertam lactato, posteriormente podem reabsorvê-lo.

Conclusões em exercício físico:

Depois de tudo isto podemos tirar várias conclusões: o Ácido láctico em exercício físico não é tóxico, nem um resíduo, nem tampouco são o culpado da dor ou da fadiga muscular. Embora, como dissemos anteriormente, a sua produção junto com a acidez que provoca é a responsável, de maneira que em muitos casos iremos querer diminuir a produção de Ácido láctico. Podemos conseguir esta redução consumindo suplementos de magnésio como o Liquid Magnesio, suplementos de ácido gordos como o Aceite de Krill , suplementos de vitamina B como o Universal Vitamina B Complex .

Espero ter-vos esclarecido as dúvidas sobre o ácido lático em exercício físico e os mitos em torno dele. Vocês eram dos que pensavam que era responsável pelas temidas dores musculares?

Quiza te interese: Óxido Nítrico benéfico para os Músculos

Bibliografia Ácido Lático:

(1)    Presente y futuro del ácido láctico. Archivos de medicina del deporte. Ana María Martín Morrell, Cristina Gonzalez Millan, Fernando Llop.

(2)     Fisiología Deportiva: fundamentos del lactato / umbral láctico Revista Alto Rendimiento, Vol. 1, Nº. 3, 2002, Pág. 6-8 ISSN. 1695-7652, Editorial Alto Rendimiento. Segura Falcó, Ricardo; Anderson, Owen.

(3)    Ácido Láctico y Rendimiento Físico. Aquilino Melgar Sánchez.

(4)    Ácido Láctico y Lactato. Profesor en línea. Registro n1 188.540


Escribir un comentario

Su dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados *

Información básica de protección de datos. Responsable del tratamiento: Osuna Sport SL. Finalidad: publicación de preguntas / comentarios. Base legitimadora: Consentimiento del interesado. Ejercicio de derechos e información ampliada sobre protección de datos en política de privacidad